Mostrar mensagens com a etiqueta roupas. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta roupas. Mostrar todas as mensagens

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

É muito cedo para escolher os vestidos para o Natal? (não sejam sinceras ahah)

Vá, eu calculo que seja muito cedo para pensar em Natal para o comum dos mortais, mas eu fiquei toda contentinha quando estava um briol ontem de manhã e pude calçar umas botas. Sim, sou meia descompensada, adoro o verão e estou a adorar estes fins de tarde maravilhosos no parque e descalças na rua a regar as plantas, mas também gosto de quando começa a refrescar e já precisamos de uma mantinha nos pés. Já comecei a pensar no Natal, o que é que querem? É a minha altura preferida do ano, só ultrapassada pelas férias de verão, mas não com muita vantagem. Só ainda não fui ajudar a minha avó a fazer as azevias porque, com tanta antecedência, chegaria à ceia com mais 20 kgs. Eu, não ela.

Já andei a espreitar as colecções e fiz uma selecção dos vestidos que achei mais giros para o Natal na Kolor Kids, um site que agrupa logo umas quantas marcas, mais "pipis" ou mais descontraídas, para todos os gostos.

Este ano estou mais virada para os azuis (no ano passado escolhi bordeaux) e, dos que vi, apaixonei-me logo pelo primeiro da primeira fila e pelo primeiro da terceira fila. Se bem que os de veludo também são lindíssimos, com aquele padrão toile de jouy ou lá como se chama (em 3 anos de golas e folharecos, uma pessoa vai aprendendo umas coisas). Mas sou capaz de pender mais para o azul escuro com o vermelho... com umas merceditas da Hierbabuena e uns laçarotes da Lemon Hair Lovers e fica o conjunto feito. Meias azuis ou vermelhas? Azuis? Uhmmm... Dilemas de primeiro mundo. :)


De qual/quais gostam mais?


Vestidos -  Kolor Kids 

 
Sigam-me também aqui: 

a Mãe é que sabe Instagram

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Beijam-se e batem uma na outra: são irmãs.

Era expectável. Tenho conhecidas cujos filhos não se batem, mas cá em casa acontece, de forma bastante regular até, mesmo elas não tendo como imitar esse comportamento dos pais (não lhes batemos). 

Alguém anda com a mão demasiado leve foi um dos posts que escrevi sobre o facto da Isabel, já há ano e meio, e que ajuda a que não se sintam sozinhas, caso os vossos filhos estejam a passar por esta fase.

Na altura fez-me bem ler este texto do blogue Parentalidade com Apego para perceber até as razões fisiológicas para o ato de bater. Adorei a questão da "tampa" no cérebro, o modelo cérebro-mão e de relembrar (como eu adorava as aulas de psicologia do 12º ano!) o córtex e o sistema límbico. A questão do desenvolvimento dos sentimentos mistos é super, super interessante. 
"Só a partir dos cinco anos de idade é que córtex cerebral começa a desenvolver-se o suficiente para que a criança comece a ser capaz de sentir estas duas coisas opostas e aparentemente contraditórias ao mesmo tempo: detesto-te neste momento mas sei que gosto muito de ti e não te quero magoar. Então tudo que precisamos de fazer é dar-lhes tempo para chegarem até aqui", pode ler-se.

Portanto, as duas pegam-se - principalmente em momentos em que têm de partilhar - e eu tento explicar-lhes que não se faz e que as mãos são boas para desenhar, para fazer festinhas, para bater palmas, etc, etc. É fácil? Nada fácil. Mas faz parte. O importante é não reagir por impulso e dar uma lamparina a cada uma. Às vezes apetece? Apetece, não vou negar! Só que é uma forma preguiçosa de responder e eu acredito na disciplina positiva! Ensinar que não se bate a bater? Ensinar que o mais forte pode bater no mais fraco? Não, zero sentido, não posso concordar. 

O que fazer? Esperar que ambas superem esta fase, com respeito por elas.

A seguir a este episódio deram festinhas uma à outra e andaram de carro de mãos dadas. Beijam-se e batem uma na outra? São irmãs.











Saias, camisola e body de golinha - Catavento

Colcha - Snug me


 

 
Sigam-me também aqui: 

www.instagram.com/joanapaixaobras

a Mãe é que sabe Instagram

domingo, 24 de setembro de 2017

Vestidos de domingo para a nova estação? Estes!

Não sei se já conhecem a Cordel, mas eu fiquei rendida. Estes vestidos em piquet com este floral verde suave, as mangas e aquela gola com o pormenor do lacinho com o botão são lindos, lindos! Elas ficaram um espanto. O cenário, na minha bonita cidade de Santarém, resultou tão bem nas fotografias sempre maravilhosas da Joana (The Love Project). Estas vão para uma moldura na minha sala, de certezinha. 

(E estes vestidos são tão bonitinhos que, com umas collants e uns sapatos mais compostinhos, dão perfeitamente para o dia de Natal. Sim, já estou a pensar no Natal. Ahah). <3























Vestidos - Cordel

Camisola e calças da mãe - Ivens

Cabelo e maquilhagem - Cut by Kate

 Fotografias - The Love Project


 
www.instagram.com/joanapaixaobras
a Mãe é que sabe Instagram

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

Roupas para o regresso às aulas? Giras, confortáveis e em conta!

Até agora as miúdas têm levado roupa de verão para a escola (e o bom que é ficarem vestidas só com um vestido ou uma túnica ou t-shirt e uns calções), mas o tempo já começa a mudar e temos de estar munidos.

Ontem fui com o David e as miúdas fazer o que tinha de ser feito: escolher roupa para a nova estação. Muita da roupa prática que a Isabel levava para a escola, com a idade da Luísa, era emprestada, por isso não sobrou muita coisa. Começamos agora a ver o que significa ir às compras para duas, comprar "tudo do zero". Por isso, aliar conforto, peças engraçadas, que nós gostemos e que elas gostem, e principalmente a preços acessíveis, é fundamental.

Gostámos muito da nova colecção da C&A. Há de tudo: vestidos mais compostinhos, gangas e pullovers e até uma saia de tule que me ficou debaixo de olho para outras ocasiões.
Hoje de manhã experimentámos quase tudo (só vou trocar uma camisola da Minnie, que está à justa, e mandar fazer bainha nas calças da Luísa, de resto, ficou tudo óptimo).

Que giras ficaram!














Foram com estes vestidinhos hoje.
E a Isabel com o seu relógio da Patrulha Pata
(desde ontem que pergunta as horas a cada meia hora ahah) 

A Isabel ficou feliz.
A Luísa ficou a chorar baba e ranho. Amanhã será melhor.
 
 



www.instagram.com/joanapaixaobras
a Mãe é que sabe Instagram

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Ser mãe de meninas é...

- é ter a delicadeza e a meiguice de mãos dadas à rabugice e ao espírito indomável

- é pôr no cabelo um gancho (ou dois ou quantos quiserem), nas unhas verniz e (tentar) meter no coração bondade e na cabeça espírito crítico

- é conviver com purpurinas e castelos e microfones mas não deixar que apenas isso seja opção

- é prepará-las para saberem viver bem com os seus corpos e (tentar) que não tenham problemas de auto-estima

- é dar-lhes armas para serem independentes, fortes, destemidas e acreditarem que podem ser até astronautas se quiserem

- é querer protegê-las de tudo mas desejar que se saibam proteger e lutar pelos seus direitos

- é dizer-lhes o quão esforçadas e inteligentes são em vez de lhes dizer que são princesas, bonitas e bem comportadas

- é ensiná-las a desejar o melhor às outras mulheres, a apoiá-las, a estar lá para elas, em vez de serem as primeiras a criticá-las e a deitá-las abaixo

- é desejar que o mundo seja delas e que serão livres para ser mães, se quiserem, casar, se quiserem, trabalhar no que quiserem, namorar com quem quiserem, sem pressões da sociedade (e muito menos minhas) desde que o façam com muito amor

- é maquilhar-me à frente delas, emprestar-lhes a maquilhagem, deixá-las andar nos meus saltos altos, mas mostrar-lhes que me sinto bem de cara lavada e com jeans rotos e chinelos e que, se nos sentirmos confiantes na nossa pele, o resto não é importante

- é mostrar-lhes que é possível sermos sensíveis e sermos corajosas, que podemos chorar mas que dentro de nós haverá força para limpar as lágrimas e ir à luta


SER MÃE era o meu SONHO. 
Aconteceu ser mãe de meninas. 
Adoro (adoraria ser de meninos também, tenho a certeza). 
Adoro ser Mãe, ponto. 

E, pensando bem, se fosse mãe de menino talvez lhe desejasse exactamente o mesmo, talvez agisse de forma semelhante. Talvez não lhe comprasse tutus cor-de-rosa por minha espontânea vontade, mas caso ele o desejasse compraria, sem hesitar. De resto, educá-lo-ia com os mesmos valores, com o mesmo cuidado, com o mesmo rigor. Educá-lo-ia a defender as mulheres, a amá-las e a respeitá-las.



















Sapatos Hierbabuena
 Tutus e camisolas personalizadas Kutchies
Fotografia
Tila do Amaral
Horto do Campo Grande

 
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.